Specula: Revista de Humanidades y Espiritualidad

Buscador

A participação mendicante no regime de verdade da Igreja Romana (séc. XIII)

Resumen

O presente artigo tem por objetivo apresentar a contribuição dos frades mendicantes (dominicanos e franciscanos) para a manutenção do regime de verdade da Igreja Romana durante o século XIII, regime que se encontra em constante construção/reconstrução desde o século XI. Adotando como ponto de partida as ideias de Michel Foucault, o texto discorre sobre mecanismos, instâncias, maneiras e status envolvidos no processo responsável por transformar um discurso em verdade para determinada sociedade. Para tanto, será abordado um caso: a sociedade do Ocidente medieval, mais especificamente da região da península Itálica.

Citas

Almeida, N. B. (2014). Hagiografia, propaganda e memória histórica. O monasticismo na Legenda Aurea de Jacopo de Varazze. Revista Territórios e Fronteiras, 7(2), 95–111.

Bachrach, D. S. (2004). The friars go to war: mendicant military chaplains, 1216-c.1300. The Catholic Historical Review, 90 (4), 617–633.

Baschet, J. (2006). A civilização feudal: Do ano mil à colonização da América. Globo.

Beaulieu, M. A. P. (2006). Pregação. In J. Le Goff, & J. C. Schmitt (Coords.), Dicionário Temático do Ocidente Medieval (pp. 367–378). Edusc.

Bezzina, D. (2018). Social Landscapes. In C. E. Beneš (Ed.), A Companion to Medieval Genoa (pp. 165–189). Brill.

Bloch, M. (2012). A sociedade feudal. Edições 70.

Burton, J. (2009). Material support II: religious orders. In M. Rubin, & W. Simons (Eds.), Christianity in Western Europe c.1100 – c.1500 (pp. 107–113). Cambridge University Press.

Calleri, M. (2007). I cartolari del notaio Stefano di Corrado di Lavagna (1272-1273, 1296-1300). Società Ligure di Storia Patria.

Camacho, V. M. (2015). A pregação na escrita hagiográfica minorítica de inícios do século XIII: um estudo comparativo [Dissertação de mestrado não publicada]. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Catalina, C. (2020). Herejía, confesión e inquisición en el gobierno eclesiástico medieval: La dimensión política del juicio pastoral. Daimon: Revista Internacional de Filosofía, 80, 7–20.

Chartier, R. (1987). A História Cultural: Entre práticas e representações (2. ed.). Difusão Editorial.

Fleith, B. (2014). Santa Agnes entre litterati e illitterati. Algumas observações através da história da utilização do legendário de Jacopo de Varazze. In I. S. Teixeira (Org.). História e Historiografia sobre a Hagiografia Medieval (pp. 72–99). Oikos.

Fortes, C. C. (2003). Os Atributos Masculinos das Santas na Legenda Áurea: Os casos de Maria e Madalena [Dissertação de mestrado não publicada]. Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Foucault, M. (2010). A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Edições Loyola.

Foucault, M. (2016). Verdade e poder. In M. Foucault. Microfísica do poder (pp. 35–54). Paz e Terra.

García de la Borbolla, A. (2011). Algunas consideraciones sobre la predicación medieval a partir de la hagiografía mendicante. Erebea, 1, 57–82.

Gelabert, M. & Garganta, J. (1947). Liber Consuetudinum. In Gelabert, M. & Garganta, J. (Eds.), Santo Domingo de Guzmán visto por sus contemporáneos. BAC.

Gilli, P. (2011). Cidades e sociedades urbanas na Itália medieval: Séculos XII-XIV. Unicamp.

Guglielmotti, P. (2018). Genoa and Liguria. In C. E. Beneš (Ed.), A Companion to Medieval Genoa (pp. 49–71). Brill.

Houaiss, A., Villar, M. S., & FRANCO, F. M. M. (2009). Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Objetiva.

Jacopo de Varazze. (2003). Legenda Áurea: Vidas de Santos. Companhia das Letras.

Kienzle, B. M. (2002). Medieval Sermons and their Performance: Theory and Record. In C. Muessig (Ed.), Preacher, sermon and audience in the Middle Ages (pp. 89–126). Brill.

Le Goff, J. (1996). As ordens mendicantes. In J. Berlioz, Monges e Religiosos na Idade Média (pp. 227–241). Terramar.

Le Goff, J. (2014). Tiago de Varazze em seu tempo. In J. Le Goff, Em busca do tempo sagrado: Tiago de Varazze e a Lenda dourada (pp. 21–32). Civilização Brasileira.

Macchiavello, S. & Rovere, A. (2018). The Written Sources. In C. E. Beneš (Ed.), A Companion to Medieval Genoa (pp. 27–48). Brill.

Maggioni, G. P. (2017). A hagiografia em um sistema de comunicação medieval: questões filológicas sobre a Legenda áurea. In I. S. Teixeira (Org.), Tempo, Espaço e Texto: A Hagiografia Medieval em perspectiva (pp. 105–117). Oikos.

Miatello, A. L. P. (2013). Santos e pregadores nas cidades medievais italianas: retórica cívica e hagiografia. Fino Traço.

Miatello, A. L. P. (2014). O pregador e a sociedade local: a luta pelo poder pastoral no seio das cidades da Baixa Idade Média ocidental (séc. XIII-XIV). Revista Territórios e Fronteiras, 7 (2), 112–131.

Moorman, J. (1968). A history of the Franciscan Order: from its origins to the year 1517. Oxford University Press.

Musarra, A. (2018). Political Alliance and Conflict. In C. E. Beneš (Ed.), A Companion to Medieval Genoa (pp. 120–143). Brill.

Oliveira, A. R. (2021). A Vida de São Pelágio da Legenda aurea e a hierocracia: possibilidades de análise. Nearco, 13 (1), p. 16–48.

Palacios, B. (1996). Los domínicos y las órdenes mendicantes en el siglo XIII [Paper]. VI Semana de Estudios Medievales. Logroño

Polonio, V. (2018). The Religious Orders. In C. E. Beneš (Ed.), A Companion to Medieval Genoa (pp. 368–394). Brill.

Powell, J. M. (2008). Mendicants, the Communes, and the Law. Church History, 77 (3), p. 557–573.

Roberts, P. (2002). The Ars Praedicandi and the Medieval Sermon. In C. Muessig (Ed.), Preacher, sermon and audience in the Middle Ages (pp. 41–62). Brill.

Rocha, T. R. S. (2015). Ver para crer: Imagem e persuasão nos manuscritos da Légende Dorée (Jean de Vignay, sécs. XIV-XV) [Tese de doutorado não publicada]. Universidade Federal Fluminense.

Rojo, F. J. (2014). Intelectuales franciscanos y monarquía en la Castilla medieval. Sémata, 26, 297–318.

Rust, L. D. (2019). O papado na Idade Média. In P. D. Silva, & R. C. S. Nascimento (Orgs.), Ensaios de História Medieval: Temas que se renovam (pp. 51–72). CRV.

Silva, A. C. L. F. & Lima, M. P. (2002). A reforma papal, a continência e o celibato eclesiástico: considerações sobre as práticas legislativas do pontificado de Inocêncio III (1198-1216). História: Questões e Debates, 37, p. 85–110.

Teixeira, I. S. (2015). A Legenda aurea de Jacopo de Varazze: temas, problemas, perspectivas. Oikos.

Thompson, A. (2011). The origins of religious mendicancy in Medieval Europe. In D. S. Prudlo (Ed.). The Origin, Development, and Refinement of Medieval Religious Mendicancies (pp. 3–30). Brill.

Zerner, M. (2006). Heresia. In J. Le Goff & J. C. Schmitt (Coords.), Dicionário Temático do Ocidente Medieval (pp. 503–522). Edusc.

Zink, M. (2006). Literatura(s). In J. Le Goff & J. C. Schmitt (Coords.), Dicionário Temático do Ocidente Medieval (pp. 79–94). Edusc.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.